Carrinho

Número Especial – Segurança e Saúde no Trabalho

Editores

António Ramos Pires, Instituto Politécnico de Setúbal, Portugal

Margarida Saraiva, Universidade de Évora, Portugal

Álvaro Rosa, ISCTE-IUL, Portugal

Editores Convidados

João Areosa, Instituto Politécnico de Setúbal, Portugal

Hernâni Veloso Neto, Instituto Politécnico de Tecnologia e Gestão, Portugal

O presente número especial da Revista TMQ é dedicado à segurança e saúde no trabalho. Foi com surpresa que recebemos o convite para assumirmos o papel de editores convidados deste número temático, dado o foco tradicional da revista, todavia, foi um convite que muito nos honrou.
A palavra segurança é polissémica, mas em quase todos os seus significados estão subjacentes as ideias de prevenção, proteção, previsibilidade quanto ao futuro e ausência ou diminuição dos diversos riscos (neste caso específico, os riscos ocupacionais). Contudo, a segurança absoluta não existe, é utópica. Por isso, podemos afirmar que a segurança nunca é total, porque os riscos são
entidades omnipresentes nos locais de trabalho, logo, existe sempre a possibilidade de ocorrerem acidentes de trabalho ou de os/as trabalhadores/as contraírem doenças ocupacionais.
Um dos grandes desafios que se apresenta dentro deste âmbito é, indiscutivelmente, uma melhor compreensão dos fatores humanos no trabalho. Já foram dados alguns passos importantes nas últimas décadas, mas o caminho que ainda falta percorrer continua a ser longo e sinuoso. Muitas organizações ainda revelam uma visão profundamente distorcida da própria condição humana, das suas idiossincrasias, das suas características e especificidades. A organização do trabalho em algumas empresas ainda está concebida de forma a imaginar os/as trabalhadores/as como se fossem uma espécie de robots invulneráveis a alterações de ordem bio- psicossociológicas. Em Portugal, vivemos um problema crónico relativamente ao elevado número acidentes de trabalho e doenças
profissionais. É natural que este quadro pouco favorável para o nosso país tenha subjacente múltiplas falhas ao nível da organização e das condições de trabalho. É também isso que implica níveis elevados de acidentes de trabalho, incluindo os acidentes mortais (que se constituem como gravidade extrema). Os motivos que estão na génese desta “tragédia nacional” passam não tanto pelas baixas qualificações académicas e socioprofissionais dos nossos trabalhadores, mas particularmente pela persistência dos nossos quadros de topo em não apostarem na prevenção e em sistemas robustos de segurança e saúde no trabalho.
Efetivamente, persiste um défice de investimento na informação e formação profissional dos/as trabalhadores/as, na procura de novas tecnologias mais seguras, na investigação técnica e científica das condições de trabalho, e no reforço das condições psicossociais de trabalho, abrangendo o bom relacionamento humano e comunicacional entre todos os membros de uma organização. Julgamos – talvez um pouco pretensiosamente – que o conjunto de artigos que agora o leitor tem em mãos possa ajudar a compreender e a sensibilizar para a importância e mais-valia do investimento em segurança e saúde no trabalho, deixando, também, clarividente as múltiplas consequências da diminuta segurança nos locais de trabalho, que redundam em desfechos fatídicos como as mortes, as doenças, as amputações e as perdas de capacidade de ganho dos/as trabalhadores/as.

A todos, boa leitura!

O Editor Coordenador
António Ramos Pires

Os Editores Convidados
João Areosa
Hernâni Veloso Neto

Lista de Revisores:

Álvaro Rosa, ISCTE-IUL, Portugal
António Ramos Pires, Instituto Politécnico de Setúbal, Portugal
Margarida Saraiva, Universidade de Évora, Portugal
Luís Lourenço, Universidade da Beira Interior
Patrícia Moura e Sá, Universidade de Coimbra
João Areosa, Instituto Politécnico de Setúbal
Hernâni Veloso Neto, Instituto Politécnico de Tecnologia e Gestão  

Lista de Autores:

Abel Babo – Instituto Politécnico de Tecnologia e Gestão
Alberto Silveira – Instituto Politécnico de Gestão e Tecnologia
Aline Fábia Guerra de Moraes – Universidade Federal de Minas Gerais
Ana Luísa Teixeira – Instituto Politécnico de Gestão e Tecnologia
Carla Maria Santos Carneiro – Pontifícia Universidade Católica de Goiás
Cláudia Lourenço – Instituto de Emprego e Formação Profissional de Setúbal
Daniel Fernandes Tomé – Instituto Politécnico de Tecnologia e Gestão
Deise Luiza da Silva Ferraz – Universidade Federal de Minas Gerais
Duarte Rolo – Université Paris Descartes
Hernâni Veloso Neto – Instituto Politécnico de Tecnologia e Gestão
João Areosa – Instituto Politécnico de Setúbal
João Luiz Freire Gonçalves Valente – Instituto Politécnico de Setúbal
Manuel Freitas – Instituto Politécnico de Tecnologia e Gestão
Margarida Cerdeira – Faculdade de Engenharia, Universidade do Porto
Maria Odete Pereira – Instituto Politécnico de Setúbal
Olívia Pinho – Faculdade de Engenharia, Universidade do Porto
Sofia Ferreira – Câmara Municipal de Setúbal

Editorial Board:

António Ramos Pires, Instituto Politécnico de Setúbal, Portugal
Álvaro Rosa, ISCTE-IUL
Luís Lourenço, Universidade da Beira Interior
Margarida Saraiva, Universidade de Évora
Patrícia Moura e Sá, Universidade de Coimbra

Título: TMQ – Número Especial – Segurança e Saúde no Trabalho

© RIQUA – Rede de Investigadores da Qualidade

Lisboa, 2018

ISSN: 2183-0940

e-mail: info@riqual.org

www.riqual.org